Total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Governo português em 'blackout' até que situação grega se resolva

Até que uma decisão quanto ao futuro da Grécia seja tomada, o Governo mantém-se em silêncio.

Um chumbo ao pacote de medidas dos credores e a possível saída da Grécia do euro pode ter consequências nefastas para Portugal. Embora a ministra das Finanças já tenha tentado transmitir calma, nenhum governante se quer pronunciar até que uma decisão seja tomada.

Um alto dirigente da coligação PSD/CDS afirmou ao Diário Económico que a ideia, para já, “é não falar no assunto”. Acreditam que a decisão do Syriza pode ser “um abanão na União Europeia sem precedentes”, embora se mantenham esperançosos de que ainda seja possível chegar a um consenso.
As opiniões quanto ao que se está a passar na Grécia estão a dividir opiniões entre os partidos portugueses. Enquanto a coligação, pela voz de Nuno Melo, considera que o governo de Tsipras se demitiu de “exercer as suas funções” e “não aguentará no poder”, os partidos de esquerda consideram que as instituições europeias estão a fazer “neocolonialismo puro e duro” e que o FMI, por sua vez, está a tentar fazer “um golpe de Estado na Europa”.
Assim anda a Grécia, até que uma decisão seja tomada
Até que uma decisão seja tomada, a situação na Grécia não está fácil e várias medidas já foram tomadas para impedir que o impacto da decisão seja mais grave. Até ao dia  6 de julho, o país é regido por um documento de controlo de capitais que visa protegr o país caso não se consiga chegar a uma cordo com os credores. A Europa também não escapa ao rebuliço. Vejamos.
- Os bancos da Grécia vão permanecer encerrados até 6 de julho, dia seguinte ao referendo sobre o programa de resgate, e o levantamento de dinheiro está limitado a 60 euros diários, exceto para turistas. 
- Os pagamentos das pensões ficam isentos das restrições impostas às transações bancárias, ao mesmo tempo que "não haverá problemas no caso dos salários pagos eletronicamente".
- As transações bancárias efetuadas online no interior da Grécia vão funcionar normalmente, bem como os pagamentos com cartão nas lojas, mas as transferências para o estrangeiro vão requerer o aval de uma comissão do Ministério das Finanças grego.
- Os transportes urbanos vão ser gratuitos em Atenas durante a esta mana para facilitar a vida dos cidadãos durante o período de vigência das medidas de controlo de capitais
- Na Europa também haverá repercussões. Esta semana haverá uma subida das taxas de juro da dívida no mercado secundário. Nos países da periferia, como é o caso de Portugal, prevê-se um alargamento do ‘spread’ face à Alemanha, pelo menos enquanto não for clara a situação helénica.
Fonte: NM

Nenhum comentário: