Total de visualizações de página

terça-feira, 30 de junho de 2015

Wall Street fecha em alta ligeira com investidores prudentes

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em alta ligeira, recuperando parte das perdas sofridas na segunda-feira, apesar de os investidores continuarem a manifestar prudência perante as incertezas na Grécia e na economia norte-americana.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o Dow Jones Industrial Average recuperou 0,13% (23,16 pontos dos 348,47 que perdeu na véspera), para as 17.619,51 unidades, e o Nasdaq 0,57% (28,40), para as 4.986,87.

O índice alargado S&P 500 valorizou 0,27% (5,48), para os 2.063,12 pontos, depois de na segunda-feira ter tido a queda mais acentuada desde há 15 meses.
Para explicar esta pequena recuperação, Michael James, da Wedbush Securities, mencionou "uma luz de esperança" quanto à permanência da Grécia na Zona Euro, depois do referendo no domingo sobre as propostas dos seus credores, e da capacidade de o território norte-americano de Porto Rico honrar um compromisso de reembolso de dívida na quarta-feira, depois de o seu governo ter dito na segunda-feira que não o podia fazer.
Wall Street teve um melhor desempenho do que as praças europeias, que hoje tornaram a viver um dia de fortes recuos, porque está menos preocupada com os problemas em torno da Grécia, apesar de "o sentimento negativo que esteve na base da queda (dos mercados europeus, na segunda-feira) ter afetado de forma clara o mercado norte-americano", acrescentou James.
Não foi percetível qualquer reação ao anúncio dos últimos desenvolvimentos nas negociações europeias, como a proposta de Atenas de suspender o seu referendo, se os ministros das Finanças europeus "se entendessem rapidamente" com o seu homólogo grego, Yanis Varoufakis, como adiantado pelo diário alemão Die Welt.
Em termos gerais, o mercado bolsista nova-iorquino não conseguiu anular as perdas de segunda-feira e permaneceu "sem convicção", salientou James.
"O fim do segundo trimestre faz vir mais vendedores do que compradores", destacou, acrescentando que "os números do emprego, esperados para quinta-feira, trazem um mal-estar suplementar", em termos das implicações para a subida das taxas de juro.
Depois, com o feriado de sexta-feira, a semana bolsista encurtada traz menos liquidez", previu.
"Perdemos mais de 1,5 biliões (milhão de milhões) de dólares (1,5 biliões de euros) em valorizações nos mercados mundiais ontem (segunda-feira), pelo que hoje (a subida) foi apenas um salto, não uma recuperação", considerou, por sua parte, Art Hogan, da Wunderlich Securities.
Fonte: NM

Nenhum comentário: