Total de visualizações de página

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

"Como é possível haver um transporte público na mão de privados?"

A comentadora explicou os lados positivos e negativos do programa do PS.



No habitual comentário no programa ‘Política Mesmo’, da TVI 24, Manuela Ferreira Leite referiu pontos positivos e negativos no programa de Governo aprovado, esta quinta-feira, na Assembleia da República.

A social-democrata começa por referir que discorda “completamente que se proponha mexer no que estava acordado em relação ao IRC”, explicando que “ninguém tem dúvidas que a pior coisa que pode existir para um investidor é a instabilidade fiscal”.
Mais ainda, a comentadora acredita que a instabilidade política não é positiva para a imagem dos investidores. “Há um conjunto de situações nos países que não podem mudar cada vez que muda um governo”, salvaguarda.
O fim aos exames de 4.º ano é outra das questões negativas apontadas pela antiga líder do PSD. “Acho que não se pode fazer estas alterações repentinamente e sem bases, estudos e fundamentos. Onde está o estudo que leva a concluir que os exames que foram introduzidos estavam a dar maus resultados?”, questiona, ressalvando que os alunos e professores “têm direito a estabilidade no sistema educativo”.
Ferreira Leite aponta, positivamente, as “decisões sobre grandes obras públicas precisarem de uma maioria de dois terços para a sua aprovação”. “Acho que mais vale tornar difíceis as aprovações do que torná-las suscetíveis de serem suspensas”, relembrando as obras que utilizaram dinheiros públicos e que nunca foram concluídas.
“Concordo com a reversão das privatizações dos transportes públicos”, revela a social-democrata, referindo que não entende “como é possível haver um transporte público na mão de privados”, conclui.
Fonte: NM

Nenhum comentário: