Total de visualizações de página

domingo, 13 de dezembro de 2015

Mensagens de texto que terminam sem ponto final são mais sinceras

mensagem ponto final
Se você não quiser enviar a mensagem errada, observe como você pontua seus textos. As mensagens de texto que terminam com um ponto final são percebidas como menos sinceras. Pelo menos é o que diz uma pesquisa publicada recentemente pela Universidade de Binghamton, nos Estados Unidos.
Uma equipe de pesquisadores liderada por Celia Klin, professora de psicologia e reitora da Universidade de Binghamton, recrutou 126 estudantes, que leram uma série de conversas em que apareceram tanto mensagens de texto digitadas como notas manuscritas.
Nas 16 trocas de mensagens experimentais, a mensagem do remetente continha uma declaração seguida de um convite formulado como uma pergunta. Por exemplo: “A Gabi tinha ingressos sobrando e me deu. Quer ir ao show comigo?”.
As respostas do receptor variavam em afirmativas de uma palavra, tais como: beleza, claro, sim e ok.
Havia duas versões de conversa em cada experimento: uma em que a resposta do receptor terminava em aberto, sem uma pontuação qualquer, e outra em que terminava com um ponto final. Por exemplo:
Pergunta: “A Gabi tinha ingressos sobrando e me deu. Quer ir ao show comigo?”
Resposta: “Beleza”
mensagens de texto 01
Pergunta: “A Gabi tinha ingressos sobrando e me deu. Quer ir ao show comigo?”
Resposta “Beleza.”
mensagens de texto

Hora da verdade

Com base nas respostas dos participantes, as mensagens de texto que terminaram com o ponto final foram classificadas como menos sinceras do que as mensagens de texto que terminavam “em aberto”.
De acordo com Celia Klin, estes resultados indicam que a pontuação influencia o significado percebido de mensagens de texto. Mesmo que a maioria das pistas sociais e contextuais importantes esteja faltando, a sinceridade das mensagens curtas foi avaliada de forma diferente dependendo da presença ou ausência de um ponto.

A difícil missão de se comunicar por mensagens de texto

Quem conversa por Whatsapp, Facebook Messenger, Gtalk, Skype ou tantas outras plataformas que exigem que a mensagem seja digitada, sabe e entende como existem algumas coisas que a gente simplesmente não consegue transmitir em texto.
São as tais entonações e as tantas outras facetas da linguagem corporal que nem a coleção mais completa de emojis consegue substituir ou superar de uma boa e eficiente conversa cara a cara.

A tal da força ilocucionária

A chamada “força ilocucionária” é um conceito proposto por John L. Austin e faz parte do que em estudos de comunicação é chamado de “teoria dos atos de fala”. De forma bem resumida, esta teoria é interessante para esta questão porque quando nos comunicamos por meio de textos, não conseguimos exprimir uma série de significados vão além de uma pura e simples frase. É justamente aí que reside a força ilocucionária.
Ela está ligada às interações sociais que se estabelecem entre os falantes e agregam significados que o texto não consegue transmitir.
Quando a gente fala, as pessoas transmitem facilmente a informação social e emocional com o olhar dos olhos, expressões faciais, tom de voz. Uma simples pausa pode mudar completamente o rumo das coisas. É ou não é?
E a gente obviamente não pode usar esses mecanismos quando estamos nos falando por texto.
Assim, faz sentido que a gente confie nos elementos que temos à nossa disposição para interpretar, tais como – emoticons, erros de ortografia deliberados que imitam os sons da fala e, de acordo com os dados desta pesquisa, erros de pontuação.

!!!!!!!!!!!!!

Em alguns muito recentes trabalhos de acompanhamento, a equipe de Klin descobriru que uma resposta de texto com um ponto de exclamação é interpretado como mais, e não menos, sincero.

Começa um novo capítulo de pesquisa

Para a pesquisadora Klin, este resultado não é exatamente surpreendente, mas amplia a pretensão de estudos futuros.
De acordo com ela, a pontuação é utilizada e compreendida para transmitir emoções e outras informações sociais e pragmáticas. Dado que as pessoas são maravilhosamente hábeis em comunicar informação complexas e matizadas em conversas, não é surpreendente que, conforme mensagens de texto evoluem, as pessoas encontrem maneiras de transmitir os mesmos tipos de informações em seus textos.
Fonte: hypescience

Nenhum comentário: