Total de visualizações de página

domingo, 31 de janeiro de 2016

Militar ferido e três guarda-costas mortos em atentado em Lahj

Um oficial do exército ficou ferido e três de seus guarda-costas morreram quando homens armados abriram fogo contra a viatura em que seguia, no sul do Iémen, informou hoje uma fonte da área da segurança.

O ataque, registado no sábado na província de Lahj, tem lugar na sequência de uma série de assassinatos e ataques à bomba contra alvos governamentais no sul do país, muitos deles reivindicados pelo grupo Estado Islâmico.
O general Hasan Ahmed Salem ficou "gravemente ferido" no ataque, que ocorreu perto de Huta, a capital da província de Lahj, segundo a fonte, que culpa o grupo Estado Islâmico pelo atentado.
"Os agressores são membros do Daesh", afirmou, usando o acrónimo árabe do grupo Estado Islâmico.
A organização extremista reivindicou dois atentados suicidas cometidos na quinta-feira e na sexta-feira perto do palácio presidencial na cidade de Aden, adjacente a Lahj.
Forças pró-governamentais apoiadas por uma coligação liderada pela Arábia Saudita recuperaram, em julho, Aden e Lahj, bem como três outras províncias do sul, aos rebeldes apoiados pelo Irão que tomaram o controlo de grande parte do Iémen, incluindo da capital, Sana.
Noutro sinal de insegurança na zona sul do país, o corpo de um clérigo sunita salafista, Samhan al-Rawi, foi encontrado hoje no distrito de Khor Maksar, na província de Aden, um dia após ter sido sequestrado, revelou outra fonte da área da segurança.
O clérigo Samhan al-Rawi lutou ao lado das tropas lealistas durante os confrontos para recuperar Aden, disse a mesma fonte, que não avançou mais detalhes sobre o incidente.

De acordo com a ONU, mais de 5.800 pessoas foram mortas no Iémen desde que a coligação liderada pela Arábia Saudita lançou uma guerra aérea e terrestre contra os rebeldes, em março de 2015.
Fonte: NM

Nenhum comentário: