Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Pinto da Costa arrasa: Recorde as principais tiradas do líder portista

Confira os momentos-chave da entrevista do presidente do FC Porto ao Porto Canal.

[23:39] - Sonho fazer um centro de formação de grande qualidade. O nosso futuro tem de passar pela formação. Temos de ser mais exigentes. Tenho muito orgulho na equipa B. Esta equipa B joga melhor que muitas equipas da I Liga.
[23:33] - Escolhemos a MEO porque foi quem nos fez uma proposta melhor. A NOS, num pequeno-almoço na cidade, disse que nos dava 320 milhões por 10 anos. Penso que foi um bom contrato.
[23:30] - Benfica e Sporting? Aquilo parece a guerra do Solnado. Uma vez ataca um, outra vez ataca o outro. Não temos relações institucionais com o Benfica há muitos anos. Com o Sporting houve sempre boa relação. Bruno de Carvalho mandou-me uma carta a dizer que um vice-presidente não o cumprimentou e que eu tinha 24 horas para lhe pedir desculpa. Eu, perante uma carta dessas, que podia fazer? Eles optaram por cortar relação unilateralmente. Mesmo assim, todos estamos representados na Liga e tentamos um entendimento nos problemas do futebol. Depois, cada um vai à sua vida.
[23:21] - O problema da arbitragem é a forma como o Conselho de Arbitragem gere os próprios árbitros. Ainda não foi esclarecido por ninguém como é que o Marco Ferreira foi nomeado para a final da Taça de Portugal e desceu de divisão uma semana depois. Como diz o povo, isto é areia a mais para a minha camioneta.
[23:16] Suk foi o último desejo do Lopetegui. Ele estava de férias em Espanha e quis tratar com o presidente do Vitória de Setúbal. Depois o Lopetegui foi embora e fiquei com o Suk nos braços. Liguei ao Peseiro e falei-lhe do Suk. E o nosso novo treinador disse que queria o Suk. Foi tratado por mim com o Fernando Oliveira e com o aval do José Peseiro
[23:09] - Casillas não sentiu a saída do treinador. Ele está bem e nós estamos contentes com ele. É um jogador à escala global e, claro, não custa o mesmo que um jogador que vem para a B.
[23:05] - Peseiro diz-me que o título é possível. Não depende só de nós. Em relação ao Benfica só dependemos de nós, em relação ao Sporting não. Mas os últimos jogos mostraram que não há jogos fáceis. Peseiro é treinador para um ano e meio, mesmo que não seja campeão.
[22:59] - Sérgio Conceição? Se desmentíssemos todos os treinadores que tínhamos de ter um funcionário só para emitir comunicados. José Peseiro foi a minha primeira opção e Sérgio Conceição nunca foi contactado, garanto.
[22:55] - Quando o treinador veio quis-se basear em jogadores dum campeonato que conhecia bem. Ele insistiu em Adrián López, entrei em contacto com o Atlético de Madrid e com Jorge Mendes. Era um preço exorbitante e eu disse-lhe que não. Entretanto o empresário apresentou uma solução que, se não o quiséssemos pagar, ele vendia-o pelo mesmo valor que ele veio. Só que o tempo foi passando, o empresário não o colocou e nós tivemos de pagar tudo.
[22:53] - Aquele não era futebol que empolgasse o público. Temos os adeptos connosco, mas o futebol tem de ser atrativo, não pode ser andar com a bola da direita para a esquerda e da esquerda para a direita.
[22:52] - Lopetegui perdeu muitos jogadores, e tinha de perder pelas opções que teve. Quando se tem jogadores emprestados por um ano, é obvio que das duas uma: ou não são bons e deixam-nos ficar, ou, se são bons, quem os emprestou leva-os. Foi o caso do Casemiro e do Oliver. Estava previsto que esses não seriam jogadores do FC Porto. Perdeu os laterais, Danilo e Alex Sandro, mas ganhou o Maxi e o Layún. Teve jogadores como o Danilo, que discute valor com qualquer um dos que saiu. O Imbula veio por vontade dele, que disse-nos que era um Ferrari. Eu perguntava-me ‘então o Ferrari é para ficar na garagem?’.
[22:51] - Lopetegui disse a Antero Henrique para tratar da rescisão com o seu advogado. A verdade é que o nosso advogado entrou em contacto com o empresário dele, que ficou de vir aqui e resolver isso numa tarde. Passados estes dias não temos nem condições para chegar a um acordo nem qualquer contacto. Estamos a aguardar.
[22:48] - Não gostava do jogo da equipa. Quando verifico que a equipa não rende e que os próprios jogadores não estavam integrados naquele espírito e que o treinador não acreditava, tive de agir. Depois do jogo com o Rio Ave, Lopetegui disse-me “comigo não há problema, resolvemos o problema em dois segundos”. Interepretei isto como um sinal de que não havia alternativa. Nesse dia comuniquei a decisão.
[22:47] Um mês antes de Lopetegui ir embora estava em primeiro lugar no campeonato, por isso não se pode dizer que foi tarde demais. Foi em 15 dias que perdeu a liderança do campeonato. É verdade que foi eliminado da Liga dos Campeões, mas fez 10 pontos, quando houve equipas que foram classificadas com menos. Não conseguiu os objetivos mas fez boas exibições, como a vitoria frente ao Chelsea.
[22:46] - Tinha boas informações de Lopetegui, até por parte de pessoas ligadas ao futebol espanhol. Não foi uma aposta ganha porque não ganhou nada, mas penso que tem qualidades, vai ser um treinador de sucesso. Mas não se integrou no futebol português. Daí ter trazido muitos jogadores de fora, que não conheciam o futebol português, embora muitos tivessem grande valor. Não quis compreender que as coisas não eram exatamente como tinha pensado e quis insistir num processo que não foi assimilado pela equipa e não a levou ao sucesso. Quando se muda de treinador é porque as coisas não estavam bem
[22:44] - Lopetegui, tal como Peseiro e todos os treinadores, foi escolha minha. Ele ainda hoje referiu isso. No momento em que tive de tomar a decisão reuni a administração da SAD, até porque ainda não havia contrato assinado. Todos concordaram e em hora e meia assinámos o contrato
[22:43] - Fui apanhado de surpresa com as declarações da minha mulher. Não me senti minimamente visado pelas palavras de Vítor Baia e comuniquei isso à minha mulher, que argumentou que teve aquele impulso, não em minha defesa, mas, em defesa de pessoas que foram acusadas de falta de seriedade. Não gostou de ele ter referido que corria toda a estrutura do FC Porto para voltar a haver seriedade.
[22:38] - Vítor Baia? Todos os sócios que estiverem em condições de poderem ser candidatos e o entendam fazer eu aceito. Se para ser presidente existem 10 candidatos, porque é que aqui não pode suceder o mesmo? Não depende de mim haver mais do que um candidato. Eu só posso ser um. Se houver mais estão no seu direito
[22:37] - Depois do jogo com o Rio Ave decidi que não podíamos esperar mais e tomámos as medidas que estávamos a preparar para causar o mínimo impasse na continuidade da vida do clube.
[22:36] - Entendi fazer as mudanças agora porque senti que ja nao havia condições para podermos lutar pelos nossos objetivos. Já não havia comunhão de ideias entre público, treinador e jogadores. O FC Porto tem de ser dirigido por quem os sócios querem, mas quem dirige não pode decidir porque alguém invade os balneários ou não permite que os jogadores não saiam depois de perder um jogo. Isso não pode acontecer.

[22:34] - Completei, esta semana, uma série de exames da ponta dos cabelos às pontas dos pés e deram-me a garantia de que posso estar tranquilo em termos de saúde. Disseram-me que estou apto a fazer a minha vida normal. Era o único argumento que me faltava para tomar uma decisão. A partir daí comuniquei a decisão de que estou disponível para me candidatar a um novo mandato.
Fonte: NM

Nenhum comentário: